❮ Portugal
Gallery
Bruno Múrias
Rua Capitão Leitão 10-16 Lisboa
+351 218 680 241
terça-feira - sábado : 14h - 19h
Nicolás Robbio
Mar 21 - May 30 2020 - 59 days left
A obra de Nicolás Robbio recorre frequentemente a elementos da vida quotidiana que o artista descreve como objectos de conhecimento geral. As formas que aparecem na sua obra partem precisamente desta premissa, não são mais nem menos do que coisas facilmente reconhecíveis. Tal como o significado linguístico contido dentre do conceito de ‘coisa’ é muitas vezes ignorado, a repercussão específica da coisa quotidiana está também muitas vezes escondida, disfarçada pela sua aplicação como um objeto com um uso prático.
Jorge Queiroz
Jun 06 - Jul 31 2020
O universo pós-simbólico de Jorge Queiroz atravessa o desenho e a pintura num diálogo diacrónico em que ambas as práticas artísticas se contaminam e influenciam mutuamente. Os seus cenários autoficcionados não são habitados por qualquer organização ou hierarquia, subvertendo a relação figura-fundo ou interior-exterior num imaginário íntimo e pessoal. É uma constante na sua obra a ausência de uma linguística e de uma linearidade narrativa. Queiroz tem vindo a desenvolver ao longo da sua prática um universo próprio, enigmático, extravagante e até mesmo um tanto alquímico.
Marcelo Cidade
Sep 12 - Oct 31 2020
Com um trabalho que é frequentemente informal e subversivo, Marcelo Cidade questiona os paradigmas e ideais da arquitectura modernista. Apropriando-se de espaços urbanos, o artista cria novas linguagens e altera as nossas ideias pré-concebidas sobre o espaço. Revelando relações e valores sociais edificados, o seu trabalho produz uma contracorrente, uma “estética de resistência” que explora conflitos sociais complexos, transportando símbolos e situações da rua para espaços dedicados à arte.
Pablo Accinelli
Nov 07 - Dec 26 2020
O trabalho de Pablo Accinelli tem dissecado a relação funcional e poética entre os objetos e as ferramentas. Os temas que aborda através da sua prática artística contêm uma referência aos objetos mundanos que nos envolvem que é ao mesmo tempo precisa e subtil. A aplicação prática desta perspetiva resulta na redução dos elementos e objetos à sua base quantificável, levando a uma manipulação da forma como os presenciamos.